Capítulo Seis – A não-tão-fantástica fábrica de chocolates

terça-feira, 18 março 2003 § Deixe um comentário

Quando todos ficaram sabendo da novidade foi um alvoroço, praticamente não se encontravam mais barras do chocolate que estava fazendo uma promoção incrível: quem achasse o bilhete dourado poderia fazer uma passeio pela misteriosa fábrica.
Um garoto comprou muitas barras, tantas quantas sua mesada permitia. Mas não achava nenhum bilhete dourado e eles já estavam acabando! Só restava mais um.
Afinal um garoto paraguaio achou e o garoto ficou muito triste, principalmente depois de descobrir que aquele era falsificado e que o verdadeiro tinha sido encontrado pelo seu vizinho esquisito que vivia com o avô pra cima e pra baixo.
E pra piorar a situação seu pai foi demitido. Ao procurar emprego na fábrica de chocolate, que agora pertencia ao loirinho esquisito, não passou no exame médico, por que tinha mais de um metro e dez, não era verde nem sabia cantar “woompa loompa dumpa dee doo”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Capítulo Seis – A não-tão-fantástica fábrica de chocolates no o projeto sem nome.

Meta

%d blogueiros gostam disto: