Capítulo Três – História de amor ou alguma outra disfunção hormonal

domingo, 2 março 2003 § Deixe um comentário

Era um dia de sol. Domingo, eu acho. Domingo de sol, ruas vazias, corações sem rumo, ou algo brega assim.
Ela andava despreocupadamente preocupada, como sempre, desde que foi abandonada. Não era o que o ex dizia. Foi quando ele apareceu. Do nada. E ela quase caiu aos pés dele. Literalmente. Já ia xingar o apressadinho quando viu o rosto mais lindo de todos, ou um clichê qualquer desses.
-Tá fugindo de alguém?
-De mim mesmo, acho.
-E se eu te protegesse? – E abriu o sorriso mais lindo do mundo, ou algo mentiroso assim, como ela diria tempos depois.
E em frente àquela casa, no local em que se esbarraram, naquela tarde deram o primeiro beijo.
Por isso (ou pelo preço) compraram aquela velha casa em suaves prestações. Por que toda história de amor que se preza tem que ter prestações. Apaixona-se desesperadamente, ama-se sem perceber quando e tudo acaba aos poucos. Foi só com eles?
Me disseram, o estopim foi uma toalha molhada na cama. Ela que deixou. Ou outra coisa que é o contrário do comum. Me disseram também um algo voou pela janela.
Trocaram o vidro quebrado. O coração, não. E só sobrou uma placa pro fim desta história: vende-se esta casa desesperadamente. Ou qualquer outra coisa incomum escrita assim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Capítulo Três – História de amor ou alguma outra disfunção hormonal no o projeto sem nome.

Meta

%d blogueiros gostam disto: