Prólogo

sábado, 15 fevereiro 2003 § Deixe um comentário

No princí­pio era o nada.

E depois surgiu alguma coisa. Não me pergunte como, já perdi muitas noites angustiando sobre isso. E sobre outras coisas. Não angustio mais.

Escrever é uma droga. E escrevo. E insisto, por necessidade. Quando não preciso, não escrevo.

E no que vai dar tudo isso?
Continuo não sabendo. Talvez não dê em nada. Provavelmente não vai dar em nada.

Mas eu não sei.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Prólogo no o projeto sem nome.

Meta

%d blogueiros gostam disto: